....................HOME..........FOTOS E VÍDEOS..........LER É PODER..........TWITTER E FACEBOOK..........A VELHA SENTADA......



domingo, 23 de outubro de 2011

Carlos Moore é entrevistado por Lázaro Ramos no Programa Espelho


Amanhã, dia 24, o convidado do Programa Espelho, Canal Brasil, é o escritor  cubano radicado na Bahia, Carlos Moore. Na entrevista – que foi dividida em duas partes- Carlos Moore fala sobre  vida e obra do cantor nigeriano Fela Kuti (da qual é o biógrafo oficial);  a sua relação com o líder negro Malcom X; o racismo na sociedade cubana; as lutas do panafricanismo e o racismo no Brasil.
Apresentado  e dirigido por mim, Lázaro Ramos, o programa Espelho aborda sempre temas atuais e debate assuntos polêmicos.  

Quem não tem TV  por assinatura pode conferir a entrevista acessando o blog do programa http://www.programaespelho.blogspot.com/.

Quem é Carlos Moore:
Doutor em Ciências Humanas (Universidade de Paris-7, França), 1983 e Doutor em Etnologia (Universidade de Paris–7, França), 1979. Nasceu e cresceu em Cuba, filho de pais jamaicanos, possuindo ambas as cidadanias. Recebeu uma formação interdisciplinar (Etnologia, Sociologia, História, Antropologia) na Universidade de Paris-7 (França), na qual ele obteve dois Ph.Ds, inclusive o prestigiado Doutorado de Estado. Morou e trabalhou na Europa por quinze anos (França), na África por oito anos (Egito, Nigéria e Senegal), no Caribe por dezoito (Trinidad-Tobago, Guadalupe, Martinica), e viajou intensamente pelo sudeste da Ásia (Filipinas, Austrália, Ilhas Fidji, Papua Nova Guiné, Indonésia) em projetos de pesquisa, tendo agora fixado residência permanente no Brasil. Fluente em quatro línguas (francês, inglês, espanhol e português), Moore Wedderburn possui expertise em assuntos internacionais e o impacto que questões de raça, etnia e gênero exercem sobre a sociedade.

Ele foi Consultor Pessoal em Assuntos Latino-Americanos do Dr. Edwin Carrington, Secretário Geral da Organização da Comunidade do Caribe (CARICOM), de 1966 a 2000, e do Dr. Edem Kodjo, Secretário Geral da União Africana (UA), de 1982 a 1983. De 1966 a 2002, foi professor titular de relações internacionais no Instituto de Relações Internacionais da Universidade do Caribe (UWI), à Trinidade-Tobago. Sua carreira como acadêmico e pesquisador, de 1984 a 2000, incluiu cargos como Professor Visitante na Universidade Internacional da Flórida (EUA), Universidade do Caribe (Trinidad-Tobago), e Universidade do Caribe Frânces (Martinica e Guadalupe). Foi Assessor de Pesquisa do Professor Robert Jaulin, diretor da faculdade de sociologia/antropologia/etnologia/religião, Universidade de Paris-7 (França), de 1980 a 1984, e assistente pessoal do professor Cheikh Anta Diop, de 1975 a 1980, em Dakar, Senegal.

Entre 1970 e 1982 Moore Wedenburn seguiu carreira em jornalismo, como analista de assuntos latino-americanos na Agência France-Presse (França), e analista em assuntos da África Ocidental para a Jeune Afrique (França). É autor de mais de cinqüenta e cinco artigos publicados sobre questões internacionais. Tem os seguintes livros publicados: African Presence in the Americas (Trenton NJ: Africa World Press, 1995), redator principal; Castro, the Blacks, and Africa (Los Angeles, CA: CAAS/UCLA, 1989); This Bitch of a Life (London: Allison e Busby); Cette Putain de Vie (Paris: Karthala, 1982); Were Marx and Engels Racists? (Chicago: IPE, 1972), dentre outras publicações. No Brasil, o escritor publicou os livros 'Racismo e Sociedade" (Mazza Edições) e "A África que incomoda" pela editora Nandyala.

Nenhum comentário:

Postar um comentário